Filme de “Peaky Blinders” encerrará a história

No texto de ontem falei sobre a notícia publicada na Variety, nesta segunda-feira, dia 18 de janeiro, em que o criador de “Peaky Blinders”, Steven Knight, fez um comunicado avisando aos fãs da série que a aguardada sexta temporada seria a última. Além disso, Knight também comentava sobre a continuação da história “de outro forma”. Então, comentei sobre a possibilidade dessa sequência ser um filme de finalização.

Menos de 24 horas depois, o próprio Knight voltou a falar sobre o assunto, agora ao Deadline. E, como eu já havia adiantado, o criador e roteirista confirmou que a série continuará no formato de filme. Mais do que isso, essa será seu encerramento. “Covid alterou nossos planos. Mas eu posso dizer que meu plano, desde o começo, era terminar Peaky com um filme. É isso que acontecerá”, explicou Knight.

Por que terminar em um filme?

Pode parecer estranha a decisão de mudar de mídia para a realização do momento mais aguardado de toda a série: o seu final. Entretanto, como eu disse no texto de ontem, não são raros os filmes que dão sequência a séries, e o oposto também é verdadeiro (basta ver o sucesso recente “Cobra Kai”). Entretanto, a maioria das séries que tiveram filmes posteriores, fizeram os anúncios dessas obras muitos anos depois.

Aconteceu assim com “El Camino: A Breaking Bad Movie”, que não estava nos planos originais da série e foi lançado por outra emissora (a Netflix) sete anos depois para fechar apenas o arco de um personagem. “Deadwood – Cidade Sem Lei” realizou o seu longa mais de uma década depois das três temporadas da série, enquanto “Família Soprano” terá a obra “The Many Saints of Newark”, em 2021, como um prequel para a série que já acabou há 14 anos.

Então, a decisão de “Peaky Blinders” de encerrar no formato de longa-metragem logo em seguida da última temporada é bastante inusitado. Talvez um caso parecido seja “Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer”, entretanto “Twin Peaks” voltou a ter mais uma temporada depois dele (ainda que não tivesse sido programada inicialmente e só chegasse décadas depois). A própria BBC já tomou uma decisão semelhante com “Downtown Abbey”.

Dessa forma, a escolha de não terminar a série no formato que habitual é no mínimo curiosa, para não dizer surpreendente, mas não inovadora. Será que realmente há algo que justifique?

O lado positivo

O grande trunfo da realização de um filme pode ser o seu lançamento nos cinemas. Assim, a série conseguiria lucrar com uma boa bilheteria, além de atrair mais pessoas a conhecer a série. Também, seria bem legal ver Thomas Shelby e companhia em uma tela grande.

Além disso, o formato de longa-metragem pode permitir à obra ter um final épico, com aproximadamente duas horas e uma história com um escopo um pouco maior e sem interrupções.

O que dá esperança para a obra é a fala de Knight, que disse sempre ter um filme de finalização nos planos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *